Dióxido de Carbono – Fontes e Importância para a Vida

O dióxido de carbono (CO2) é um gás inseparável da maioria das formas de vida no planeta Terra. O gás  carbônico ou dióxido de carbono (CO2) é o gás que exalamos quando respiramos. Esse gás é um dos produtos finais do metabolismo celular, ou seja, quando um composto orgânico é queimado/metabolizado nas células, há formação de CO2 e H2O como produtos principais. O dióxido de carbono possui massa molar igual a 44g/mol e se apresenta, em condições ambientes, como um gás.

O gás carbônico é também um gás produzido a partir da queima/combustão completa de material orgânico (composto formado principalmente por átomos de carbono e hidrogênio, podendo conter heteroátomos), que ocorre na presença de gás oxigênio e quantidade de energia suficiente para iniciar a reação. Quando a reação de combustão se inicial, se há material orgânico e gás oxigênio, haverá grande liberação de energia, em quantidade superior à energia fornecida para iniciar a reação. Embora o CO2 seja o produto final da oxidação do átomo de carbono e seja relativamente inerte em condições ambiente, esse composto não é sempre inerte, pois vegetais possuem a capacidade de absorver tais gases, combiná-lo com moléculas de água (H2O) e produzir carboidratos, em um processo conhecido como fotossíntese.

É graças à fotossíntese, principalmente, que o dióxido de carbono é recuperado à compostos de carbono que, por sua vez, podem ser consumidos por animais, possibilitando as formas de vidas existentes em nosso planeta.

Quando é gerada energia em uma célula, por exemplo, é liberado CO2 e também energia. A energia produzida pode ser usada para levantar um peso ou até mesmo gerar um pensamento.

O dióxido de carbono não é produzido apenas a partir da queima completa de compostos orgânicos (seja na respiração de organismos vivos ou na combustão de material orgânico), mas também a partir da fermentação de carboidratos, que é um processo de produção de energia, mas sem a presença de gás oxigênio, ou seja, um processo anaeróbico. No processo de fermentação de um carboidrato, haverá a formação de um álcool e também dióxido de carbono. É através do processo de fermentação de um carboidrato que o etanol é produzido no Brasil, por exemplo. E a cerveja, bebida bastante popular no país, é o produto direto da fermentação de carboidratos. A cerveja por ser uma bebida alcoólica derivada da fermentação de carboidratos, já possui gás carbônico dissolvido em sua composição, desde a fermentação. E é esse gás que é um dos responsáveis pela formação da espuma da cerveja.

Quando o gás carbônico é dissolvido em água, ocorre uma reação química que fica em equilíbrio químico. A dissolução de CO2 e água produz ácido carbônico, H2CO3, que pode se decompor e formar novamente CO2 e H2O. Esse equilíbrio químico pode ser afetado por variação de temperatura, concentração de gás carbônico, por exemplo (veja mais sobre equilíbrio químico).

O gás carbônico proveniente da fermentação de carboidratos também é usado na produção de pães, para deixar a massa mais macia e fofa. Mas na produção de bolos, por exemplo, é utilizado fermento químico, que produz dióxido de carbono, mas através da decomposição de uma substância química. A produção de gás é menor nesse processo químico, daí o uso de fermento químico ser mais comum em massas leves.

A atmosfera terrestre possui grande quantidade de gás carbônico dissolvido. Se considerarmos a atmosfera seca, sem vapor de água, o CO2 é o 4º principal gás. Esse gás presente na atmosfera é o que participa da fotossíntese e também do efeito estufa, que permite o equilíbrio de temperatura na Terra. Devido à queima excessiva de combustíveis não renováveis, como os derivados de petróleo, a concentração de gás carbônico tem aumentado ao longo dos anos, intensificando o efeito estufa e favorecendo o aquecimento global.

Nas águas naturais, tais como rios, lagos e oceanos há grande volume de dióxido de carbono dissolvido e na forma de carbonatos, como os presentes nas conchas de moluscos marinhos. Na forma de calcário, o CO2 pode ser encontrado em rochas calcárias, que nada mais são do que calcários metálicos, como o carbonato de cálcio (CaCO3) ou o carbonato de sódio (Na2CO3).

Escrito por: Miguel A. Medeiros
Revisado em: 15 de fevereiro de 2016

Você pode se interessar por: