Toda Segunda-feira é dia de novidade no quiprocura

Escrito por: Miguel Araujo Medeiros
Revisado em: 28 de junho de 2015

Churrasco…

Todo mundo no Brasil sabe o que é um churrasco. Mas o que nós usamos para fazer um churrasco?

Usamos a carne, o tempero e o carvão para assar a carne. Bem, o tempero pode ser o mais diversificado possível, diferenciando de pessoa para pessoa, mas um ingrediente no tempero, geralmente, nunca falta, o sal. Seja refinado ou grosso, ele sempre está presente. No entanto, o que é o sal que tanto consumimos e que tanto se ouve falar que é prejudicial à saúde?

O sal de cozinha é uma mistura de alguns sais: NaCl (cloreto de sódio – o constituinte principal, acima de 99%), KI (iodeto de potássio – responsável pela presença de iodo no sal), ferrocianeto de sódio e alumínio silicato de sódio (responsáveis pela diminuição da umidade do produto, evita que o sal empedre).

O sal de cozinha quando dissolvido em água, forma uma solução turva, que é decorrente da não solubilidade destes anti-umectantes em água. Uma solução de NaCl puro, ou melhor, de NaCl utilizado como reagente em laboratórios químicos é transparente, pois não apresenta anti-umectantes.

O NaCl, constituinte principal do sal de cozinha, pode ser obtido de minas naturais de sal, a céu aberto, nas quais ele é chamado de halita, um mineral. No entanto, ele também pode ser obtido a partir da água do mar, por evaporação da água. Neste último processo, a água do mar, que contém além do NaCl, diversos outros sais, tais como carbonatos e sulfatos, sofre ação do Sol e de ventos, para a precipitação dos diversos sais e obtenção final do NaCl, que é muito solúvel em água.

Do total de sal extraído no mundo, atualmente, cerca de 5% apenas é para consumo humano. A maior parte da produção de NaCl é utilizado nas indústrias, para diversos fins, tais como produção de NaOH, cloro gasoso, produção de papel, tecidos, cosméticos, tinturas, remédios, etc.

No Brasil, a maior parte do sal consumido na cozinha, é obtida da água do mar.
O cloreto de sódio, NaCl, é um compostos iônico formado pela união de um metal alcalino altamente reativo e um halogênio, também reativo. A combinação destes dois elementos dá origem a um compostos que é desejado a muito tempo e por muitos. No entanto, não é todos que podem consumir o NaCl da forma desejada. Algumas vezes, é necessário a “ajuda” de um médico para auxiliar no consumo deste ingrediente tão precioso na nossa cozinha.

O sal é responsável pela troca de água das células com o seu meio externo, ajudando-as a absorver nutrientes e eliminar resíduos. Além de ser responsável no processo de contração muscular. No entanto, ele está associado a problemas de hipertensão e cardiovasculares, daí a importância de seu consumo ser moderado.

Mas, qual é a diferença entre o NaCl e o sal de cozinha?

Bom, a diferença está no fato do sal de cozinha ser uma mistura de NaCl e compostos de iodo, que são introduzidos com o intuito de prevenir os chamados “DDI”, não, não é ligação internacional, fazendo um 21, ou 31,… “DDI” é, também, a abreviação de Distúrbios por Deficiência de Iodo, que são problemas de saúde, tais como: o bócio, abortos prematuros, retardos mentais, etc. Para consumo humano, é considerada adequada, para um adulto, a ingestão de 0,15 mg de iodo por dia. O teor presente no sal de cozinha é de 20 a 60 mg de iodo por quilo do produto final. Esta é uma regulamentação do Ministério da Saúde.

Na água do mar, o cloreto de sódio, NaCl, está na forma de íons Cl e Na+, que darão origem ao NaCl sólido, que se precipitará, cristalizará, pela evaporação da água. Então, na água do mar não existe o NaCl, mas sim, íons Na+ e Cl, os quais darão forma ao composto cristalino, que é agrupado segundo o esquema ao lado.

Qual a diferença entre o sal grosso e o sal refinado?

Quimicamente falando, nenhuma, o que diferencia um do outro, é a granulometria, ou seja, o tamanho do grão do sal, que é estipulado pela empresa responsável pela sua extração, que pode escolher, triturá-lo na forma de pó fino, como o sal refinado de cozinha, ou deixá-lo em grãos maiores, como o sal grosso.

Ambos os sais são tratados de forma totalmente higiênica e possuem alto grau de pureza, pois, os cristais que são formados a partir da evaporação da água do mar, são purificados, através da sua própria cristalização e segundo regras da Vigilância Sanitária.

E o sal light, o que é?

Na verdade, o sal light é uma mistura meio a meio de cloreto de sódio e cloreto de potássio.

O cloreto de potássio tem a característica de ficar menos tempo no organismo, que o cloreto de sódio, daí a sua vantagem em reter água no organismo por menos tempo.

Aplicações do NaCl

Sódio metálico

A obtenção do sódio metálico, Na, é possível a partir da eletrólise do cloreto de sódio fundido.

2 Na+ + 2e → 2 Na(l)
2 Cl → Cl2(g) + 2e
——————————————–
2 Na+ + 2Cl → 2Na(l) + Cl2(g)

Além do gás cloro e do sódio metálico, o cloreto de sódio pode ser utilizado para obtenção do NaOH, que é bastante utilizado na industria de cosméticos e limpeza, na produção de sabonetes, xampus, detergentes, etc.

*O texto e a figura do NaCl foram produzidos por Miguel A. Medeiros. A reprodução ou utilização destes, merece autorização ou referência ao autor. Além do endereço desta página.

Para mais informações, acesse o sítio do sal Cisne na Internet. O endereço éhttp://www.salcisne.com.br. Lá é possível encontrar diversas informações sobre o popular sal de cozinha.